Descobertos no Peru em 1928 pelo arqueólogo peruano Julio Cesar Trello, os crânios alongados de Paracas ganharam forte notoriedade com a rápida expansão da internet pelo mundo. Ao todo, foram encontradas mais de 400 múmias, na cidade de Ica, a sudoeste do Peru, na chamada necrópole de Wari Kayan.

 

A cultura de Paracas viveu entre 400 e 100 a.c. e deram origem a tão conhecida Civilização de Nazca. Você deve estar pensando que tudo tem uma ligação. Crânios alongados, Linhas de Nazca, tudo consequência da ação alienígena na Terra em tempos antigos, certo? Não. Segundo o arqueólogo britânico Keith Fitzpatrick-Matthews, “A Cultura da Necrópole de Paracas não é o produto de um grupo misterioso e isolado de criaturas não-humanas, sua posição no cenário do desenvolvimento do Peru pré-histórico é bem compreendida”.

cranios_alongados_desenho

Por que tinham crânios alongados?

 

Keith Fitzpatrick-Matthews explica que era comum nas sociedades pré-colombianas que os homens de alto status sociais tivessem deformações artificiais no crânio. A modificação corporal é algo comum entre culturas do mundo inteiro. Nesse caso, a cabeça da pessoa, ainda criança, é pressionada com faixas ou tiras de madeira para que cresça e seja alongada artificialmente. Estudos nos crânios e objetos encontrados durante as escavações comprovam essa tese. Vale lembrar que alguns povos isolados do restante do mundo ainda praticam esse tipo de modificação corporal.

lef86inhrm67374vhexm_4

Do sensacionalismo à ignorância.

É comum hoje ver alguns canais de TV venderem a ideia de que toda a história humana pode ser explicada se somarmos o fator alienígena. Mas não é bem assim. Uma das estrelas desses programas, David Hatcher Childress, é um dos mais populares pesquisadores a dizer que os Crânios de Paracas possuem algum tipo de influência alienígena. Um de seus argumentos, diz que se os crânios eram feitos artificialmente, é provável que os povos estivesses copiando seus deuses alienígenas. Algo que a história desmente. Não há nenhuma ligação com o alongamento dos crânios e religião. Era uma questão unicamente social, para diferenciar uns de outros.  Em 2014, Childress fez um pronunciamento um tanto controverso. Disse estar em posse dos resultados das análises de DNA que comprovariam que os crânios alongados não são humanos.

childress-david

O problema com a afirmação de Childress é toda a inconsistência do caso. O nome de nenhum cientista geneticista envolvido é revelado. Se fosse algo irrefutável, que cientista que não gostaria que seu nome fizesse parte de tal descoberta? O segundo ponto é que Brien Foerster, coautor do livro sobre as múmias de crânio alongado, ao lado de Childress, revelou em seu Facebook que os dados das análises de DNA são incompletos e inconclusivos e muito sequenciamento ainda precisa ser feito.

 

Precisamos nos prender ao que é científico.Caso o contrário, só estaremos ajudando a vender mais livros e mais propaganda na TV a cabo para autores e canais sensacionalistas. Informações falsas ou forçadas apenas ajudam a promover a ignorância acerca do fenômeno ufológico. Quanto mais incrível e improvável uma informação, mais ela vai vender. Lembre-se sempre disso.

deformation_toulousaine_peq

 

 

Anúncios