A equação de Drake você provavelmente já conhece, pois ela é bem famosa no meio científico. Ela tenta determinar matematicamente as probabilidades da vida extraterrestre na Via Láctea e que poderiam por fim se comunicar conosco. A equação leva é um argumento probalístico, portanto não se baseia em números exatos. Mesmo assim, é muito respeitada. Ela leva em consideração a provável quantidade de planetas em zona habitável, o tempo em que uma civilização leva para aparecer e se desenvolver, entre outras dezenas de fatores como esses. Dessa forma, acha-se um número estimado de quantos planetas habitáveis temos em nossa galáxia.

u

A dupla de astrônomos Adam Frank e Woodruff Sullivan, foram além. Os dois observaram que a equação de Drake determinava que apenas 1 entre 10 bilhões de planetas habitáveis teriam vida. Todavia, ao adicionar informações matemáticas que temos hoje (a equação original foi publicada em 1961), mesmo em um cenário pessimista teria surgido cerca de 1 bilhão de civilizações em nossa galáxia durante toda a história cósmica.

A Equação de Drake está tomando forma, deixando a atmosfera da especulação e fazendo cada vez mais parte daquilo que chamamos de ciência. O único obstáculo dessa nova versão é determinar o tempo de durabilidade de cada civilização. Portanto, por hora, não podemos afirmar que esses planetas ainda são habitados por seres extraterrestres. Só nos resta esperar que a ciência continue avançando e que algum tenhamos uma prova cabal da vida alienígena.

alienigenas-hibridos

Anúncios